O verdadeiro Empoderamento Feminino: Seja a sua melhor versão.

Homenagem ao Dia das Mulheres - 8 de Março

O verdadeiro Empoderamento Feminino: Seja a sua melhor versão

 

Ganhamos os holofotes das mídias, dos noticiários e dos debates. Nunca se falou tanto sobre empoderamento feminino. De 2011 até os dias atuais o termo cresceu e ganhou os primeiros lugares dos rankings de busca da internet no mundo e em 2016 foi a palavra mais buscada nos dicionários. Por conta disso, é comum nos depararmos com situações nas quais esse termo é usado de forma indiscriminada e até mesmo com sentidos variados. 

 

Sobre o empoderamento feminino

De acordo com Dicionário Aurélio o termo empoderamento representa o ato ou ação de empoderar-se, ou seja, de conquistar o poder, consciência social e conhecimento e, com isso, realizar transformações individuais ou de um certo grupo social. Mas podemos também entender o empoderamento simplesmente como um processo no qual, por meio da conscientização e da informação, é concedido o poder a uma pessoa ou a um grupo dela. Mas seu significado pode ser ainda mais profundo e complexo. 

Diferentemente do que muita gente imagina, empoderamento não é o mesmo do que ter privilégios ou ser dominante em uma determinada situação. Para ser uma pessoa empoderada, você não tem que se sobrepor a ninguém. Ou seja, não se trata de exercer o poder sobre qualquer pessoa. Você pode empoderar-se simplesmente exercendo poder sobre si mesmo.

Muitas vezes, o termo já foi confundido com o movimento feminista que prega a ideologia da equidade social, política e econômica entre os gêneros. Entendo que empoderamento feminino é bem diferente de feminismo. Feminismo é resumidamente um movimento.  Empoderamento feminino é a consciência coletiva, expressada por ações para fortalecer e incentivar as mulheres a exercer poder sobre si mesmo. 

 

Praticando o empoderamento feminino

O empoderamento pode estar presentes em grandes ações, como por exemplo, quando empresas decidem seguir uma política interna de equidade entre gêneros e quebra de preconceitos contra as mulheres. Mas também está no dia a dia, quando uma amiga fala para a outra “Aceite seu corpo, ele é lindo” ou “Você pode viajar sozinha sim, isso vai contribuir para a sua carreira”.

Empoderar-se é o ato de tomar poder sobre si. Dessa forma, também é possível fazer o empoderamento de outros grupos sociais, como o empoderamento negro e até empoderamento dos idosos, por exemplo. As pessoas oprimidas ou que recebem menos atenção na nossa sociedade, muitas vezes não têm consciência de seu próprio poder, e as mulheres estão incluídas neste grupo.

As mulheres precisam reconhecer que elas são capazes, para então poder começar a fazer mudanças que realmente irão trazer bem estar e realização.  

 

Workalove Empoderamento Feminino

 

Minha relação com o empoderamento feminino

Durante muito tempo da minha carreira vivi muitos conflitos e injustiças no mercado de trabalho. Cheguei a ocupar posições com as mesmas responsabilidades de um homem que ocupava a mesma posição que eu e o meu salário era inferior cerca de 40%.

Em uma busca incessante por fazer merecer os resultados que entregava, cheguei a mudar o meu tom de voz, as minhas vestimentas e o meu jeito de ser. (até o rosa foi extinto do meu guarda-roupa). Queria me fazer ser parecida com os homens porque achava que esse era o caminho mais rápido para o meu reconhecimento e equiparação salarial. Um tremendo engano que ainda carrego suas consequências no meu corpo e na minha mente até hoje. 

Mas há 5 anos decidi buscar um novo caminho. Tomei a decisão de viver o verdadeiro empoderamento feminino em minha vida,  o ato de tomar poder sobre si, reconhecendo o seu potencial e seus valores (sério, até voltei a usar rosa e todas as outras cores que me fazem bem, que libertação!). Passei por um processo de  autoconhecimento e desenvolvimento de carreira e, assim, larguei o meu emprego e sai para empreender.

Nesse processo, identifiquei os meus talentos (tecnologia, marketing, vendas) e minhas paixões (educação e pessoas) e desenvolvi uma plataforma tecnológica que ajuda os estudantes a aumentar a sua trabalhabilidade por meio de um programa de carreiras para as instituições de ensino: @workalove. Esse processo colocou os meus valores alinhados com os meus objetivos de vida que envolve a minha família, resgatou a minha confiança nos meus talentos, me fortaleceu e me direcionou a seguir de forma obstinada para a conquista dos meus sonhos.

Vamos juntas?

E hoje estou aqui para convocar você mulher a se permitir fazer valer o seu direito de ser simplesmente mulher. Do lar ou como empreendedora, podemos ser o que quisermos, desde que as nossas escolhas não passem a transgredir os nossos valores, mas sim nos permita viver a nossa melhor versão promovendo realização e bem estar para nós e para quem mais amamos.

 

Fernanda Verdolin, sou mãe da Esther, 10 anos e Sarah, 4 anos. Sou Esposa do Angelo e também empreendedora apaixonada pela Educação, Pessoas e Tecnologia. CEO, founder da workalove.
Tradução »